Please reload

Artigos Recentes

Amizades na vida dos expatriados

29/10/2019

1/6
Please reload

Artigos em Destaque

Pedregulhos e diamantes, onde estou colocando a lupa? - Coaching de Carreira

11/02/2015

 

Você já reparou o quanto nós reclamamos de nós mesmos, ou o quanto colocamos uma enorme lupa naquilo que nos falta? “Nossa, como eu sou desorganizado!” ou “Falta tanta disciplina para mim, eu desisto de tudo!” ou “Estou uma gorda com este vestido!” ou ainda “Como eu sou burro, não acredito que fiz isto!”.  Seja na conversa do café com amigos, seja com nós mesmos na frente do espelho. É incrível como estamos habituados, como fomos treinados e estamos quase que viciados a ver sempre primeiramente e exclusivamente os nossos defeitos.

 

É comum nas conversas de pré-coaching quando peço para os clientes falarem um pouco de si,  eles começarem com uma lista de defeitos ou do que está faltando. Quando pergunto quais são as suas forças muitos comentam a dificuldade que têm de falar sobre isto ou que nunca pararam para pensar. Precisamos continuar a ter esta imagem tão deturpada e “crítica” de nós? 

 

Em todos os processos de coaching, principalmente no de carreira, um dos objetivos é  ampliarmos esta perspectiva sobre nós mesmos. Entramos em uma jornada de descoberta e reconhecimento das nossas forças, dos nossos talentos, das características que nos fazem ser únicos.  Identificamos quais são as nossas preciosidades, os nossos diamantes.

 

Fazemos o exercício de refletir e perguntar: quais são as minhas virtudes? O que faço nas minhas atividades que me diferencia dos outros? O que na minha forma de ser é especial? Além disso, também mapeamos o que os outros veem em nós que não estamos vendo? O que os meus amigos,  meus colegas de trabalho, meu parceiro(a), minha família percebem de especial e diferente em mim? 

 

Tão importante quanto ter a lista das nossas forças em mãos, é então olhar para elas, reconhecê-las dentro de nós e se empoderar delas. Isso significa identificar como eu uso as minhas virtudes, na prática, nas diversas áreas da vida e lançar mão delas quando necessário. Exemplo: “Percebi que sou criativo para dar soluções na minha atividade profissional. Quando me deparo com um problema financeiro como posso usar a criatividade para resolvê-lo? Em uma situação de conflito, qual a solução criativa que eu posso dar para que ambos os lados fiquem bem?” E por aí vai... Praticar e reconhecer a prática da virtude é a forma de continuamente a lapidarmos.

 

A ideia não é que você menospreze os seus pontos de melhoria (ou fraquezas). Eles podem sim, se não forem olhados e cuidados, atrapalhar o seu caminho. Só não é necessário colocar  a lupa para examinar pedregulhos e gastar tanta energia diária nisto. O que realmente nos auxilia a alcançar nossos sonhos nesta jornada são as nossas virtudes, que, se na escalada do dia a dia, reconhecemos, zelamos e polimos continuamente, viram diamantes valiosos que nos ajudam a dar os grandes saltos e superar desafios importantes da vida.

 

E então? Quais são as suas virtudes? Como pode fazer os seus diamantes brilharem mais?  Como pode usá-los de forma consciente para o seu benefício e para o benefício das pessoas a sua volta? Que tal colocar a sua atenção, a sua “lupa” nisto?

 

Janaina Weiss

 

Please reload

Procure por Tags